Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, CAPAO REDONDO, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese



Arquivos

    Votação
     Dê uma nota para meu blog

    Outros links
     blog do jorge possetti
     UOL - O melhor conteúdo
     BOL - E-mail grátis
     Kaos urbano




    Nas entrelinhas da notícia
     


    Pior que tá não fica né? Sei...

     

    O slogan " vote Tiririca, pior que tá não fica!" criado pelo, então, candidato a deputado federal Francisco Everardo para sua campanha foi a febre dessas eleições. Na frase o palhaço Tiririca fazia uma clara alusão ao estado de descrédito pelo qual passam os políticos brasileiros e que votar nele não deixaria as coisas piores do que já estão. Ocorre que ontem nossos "ilustres" deputados nos fizeram ter a certeza de que se algo está ruim, pode sim ficar ainda pior. Em seção realizada rapidamente na tarde desta quarta-feira os parlamentares federais decidiram reajustar os próprios salários em 61,83%. Com esse aumento os vencimentos dos deputados passam dos atuais R$ 16,5 mil para R$ 26,7 mil mensais. É isso mesmo caro leitor nossos "nobres" parlamentares passarão ganhar quase 27 mil reais por mês, um absurdo!

    Coincidentemente a notícia desse aumento ocorreu bem no dia que o deputado eleito por São Paulo, Tiririca, fazia sua primeira visita à Câmara, pareçe piada. Questionado por repórteres sobre a medida tomada por seus futuros colegas o palhaço deputado declarou "Cheguei com sorte, graças a Deus foi aprovado, acho justo". É verdade que Tiririca nada tem a ver com a aprovação desse reajuste pois só assumirá sua cadeira no congresso em janeiro,mas o fato do palhaço estar na Câmara no momento em que esta verdadeira afronta ao cidadão era aprovada até pareçe provocação. Nossos parlamentares provam, mais uma vez, que não estão nem aí com a opinião pública e com os eleitores que são totalmente contra esse aumento descabido e sem propósito.

    Vale lembrar que esse reajuste não vale somente para os deputados federais mas também para o presidente, o vice, senadores e ministros de Estado. Somente com o acréscimo dos vencimentos dos parlamentares a folha de pagamentos deverá ter um aumento em torno de R$ 1,8 bilhão. E não pára por aí, com a decisão tomada em Brasília a lei brasileira também garante aumento aos deputados estaduais de todo o Brasil. Isso ocorre porque segundo a Legislação Brasileira os deputados estaduais podem receber vencimentos de até 75% do salário de um deputado federal. A medida também propicia o reajuste nos salários de Governadores, prefeitos e vereadores por todo o país. Uma verdadeira farra com o dinheiro público! Mais uma vez todos nós contribuintes pagaremos a conta de toda essa festa aprovada pelos colegas de nosso nobre palhaço deputado.

    A verdade é que em toda essa história, Brasília, ontem, se tornou novamente um grande picadeiro em que apesar da visita daquele que é um palhaço, de fato, o nariz vermelho sobrou para todos nós, palhaços contribuintes!



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 18h48
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Enchentes: Novela sem fim...

    Avenida Anhaia Mello, mais uma vez, vira rio

     

    Bastaram alguns dias de chuvas um pouco mais intensas durante os últimos dias para os paulistanos reviverem cenas que todos os anos se repetem sempre a partir de Dezembro. Sempre por volta das 3 da tarde os moradores de São Paulo começam a fazer uma espécie de ritual. Todos passam a levantar suas cabeças olhando para o céu como se dizendo "meu Deus aí vem mais uma daquelas". O cenário é aterrorizante nuvens carregadissímas, céu totalmente escuro, o dia pareçe noite; Pronto, o caos está anunciado.

    Em poucos minutos diversos pontos da cidade ficam inteiramente debaixo da água. O trânsito fica caótico, o transporte público pára, a cidade trava, os morros vêem abaixo. Todos anos, nós, cidadãos paulistanos, somos obrigados conviver com uma cidade em perfeito estado de calamidade. Sentimos na pele as perdas que sofremos todos os anos. Perdas materiais (casas, carros, móveis), perdas de vidas, perdas de autoestima. Bastam apenas poucos dias de chuva para que São Paulo mostre a todos nós toda a sua fragilidade, todo o descaso que a cidade sofre vem à tona nesse período. Hoje, mais uma vez, assistimos a um capítulo de uma novela que pareçe não ter fim. Até quando os paulistanos terão que conviver com o caos, com o descaso?

    O crescimento desorganizado da região metropolitana da capital é um fator que sem dúvida contribuiu para o que aconteçe em todos os verões. Mas não é o único. Décadas de verdadeiro abandono do poder público fizeram com que a situação ficasse insustentável. Poucas foram as medidas eficazes tomadas para combater as enchetes que ano após ano assolam São Paulo e seus moradores. Só para se ter uma ideia, tenho 31 anos e o córrego Pirajurassara deixa os moradores do Campo Limpo e de Taboão da Serra debaixo da água há três décadas. Nesse período foram, pelo menos, sete mudanças de governo e o problema ainda persiste.  O córrego Aricanduva é outro que transborda desde que o blogueiro se entende por gente. Anualmente bilhões de reais são gastos em medidas que até hoje não resolveram este que é um dos problemas mais graves e mais antigos de São Paulo.

    Os paulistanos já estão cansados de terem que refazerem suas vidas a cada verão. Muitos cidadãos mal terminaram de pagar os prejuízos causados pelas chuvas de Janeiro deste ano e já estão perdendo tudo novamente. Até quando isso vai continuar? Nos últimos anos a época do Natal que seria um período de festas, alegria e celebração da vida, vem se tornando uma época de angústia e sofrimento para milhares de famílias que vivem nessa parte do ano os seus piores pesadelos. Quantas famílias irão passar a "noite feliz" chorando a perda de suas casas, de seus parentes, de seus pertençes, sob os olhares incompetentes de nossos governantes? Infezlimente está longe o dia em que teremos um final feliz para essa novela.

     



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 21h03
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Prepare-se o fim de ano está aí

     

    Durante essa semana tivemos algumas amostras do que pode ser o fim de ano de milhares de brasileiros país afora. Desde o final de semana vimos a reprise de uma situação que já vem de longa data e ninguém consegue resolver: O caos aéreo. Por vários aeroportos em todo o território nacional passageiros enfrentaram um verdadeiro martírio para conseguirem viajar. Foram centenas de vôos atrasados e cancelados, passageiros estressados, pouca informação e muitos transtornos. Para se ter ideia dos problemas, a Tam foi impedida de vender novas passagens até que a situação de seus vôos fosse normalizada.

    As explicações das companhias são as mais esdrúxulas possíveis fazendo dos passageiros verdadeiros palhaços diante de tanto descaso. As autoridades (ANAC e Ministério da Defesa) parecem incapazes de trazer uma solução definitiva para o problema. O detalhe que chama a atenção no caos vivido no início dessa semana é que estamos "apenas" no final de Novembro. O período de maior movimento nos aeroportos vem justamente agora, pois, Dezembro é mês de férias escolares, de festas de Natal e Reveillon e de férias coletivas em muitas empresas. Ou seja, a tendência é que a partir de agora as coisas que parecem já estão ruins fiquem cada vez piores.

    O governo do presidente Lula está terminando sem que tenha conseguido dar um fim a esse problema vivido há anos nos nossos aeroportos. Tragédias aconteceram em nosso espaço aéreo, pessoas morreram e nada foi mudado. As poucas medidas tomadas se mostraram ineficazes e basta um pequeno aumento na demanda para que o sistema de aviação brasileiro deixe escancaradas todas as suas falhas. A perspectiva para os brasileiros que pretendem utilizar esses serviço nos próximos meses não é nada animador. O blog é categórico ao afirmar que veremos novamente as mesmas cenas do ano passado em que muitos passageiros passaram o reveillon nos saguões dos aeroportos.

    Às portas do início de seu governo a presidente eleita, Dilma Rouseff, tem na aviação um dos maiores desafios nos seus próximos quatro anos de mandato. Será dela a responsabilidade de colocar o sistema aéreo brasileiro nos trilhos visando a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. A pressão para que esse problema seja resolvido será grande pois o mundo inteiro está de olhos voltados para o Brasil. A FIFA e a CBF já deram seus recados e esperam que o país consiga dar condições de receber com conforto e segurança os milhões de turistas que virão ao nosso país acompanhar os dois maiores eventos esportivos do planeta. O tempo é curto e o governo já passou da hora para começar a se mexer de verdade. Os brasileiros esperam ansiosamente uma solução definitiva para o problema. Com a palavra as nossas autoridades.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 20h17
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    O torcedor como espelho da sociedade

    Torcedores do Palmeiras insultam o goleiro Deola após uma defesa realizada

    Foto: Paulo Passos/IG

     

    Acompanhei atentamente as duas mais recentes rodadas do Campeonato Brasileiro por alguns motivos. Primeiro por ser louco por futebol, segundo pelo time do meu coração estar na disputa do título e terceiro por dever de jornalista. E exatamente por esses mesmos motivos fiquei indignado com o que vi e ouvi dos torcedores de alguns times nesses dois últimos finais de semana. Quero deixar bem claro que como Corinthiano a atitude do time no jogo do ano passado contra o Flamengo foi deplorável. Era dever dos jogadores se empenharem para tentar ganhar a partida independentemente se o resultado beneficiaria o São Paulo ou não. Porém como torcedor de uma equipe rival fiquei contente que o time do Morumbi não tenha sido campeão. Mas em momento algum comemorei os gols do Flamengo ou torci para que meu time perdesse. E é exatamente nesse ponto que quero tocar.

    Nos jogos entre São Paulo x Fluminense, na semana passada, e Palmeiras x Fluminense, hoje, assisti a cenas que me envergonharam como apaixonado pelo futebol e como cidadão. As torcidas de São Paulo e Palmeiras compareceram ao estádio e simplesmente torceram contra seus próprios times, isso é absurdo! Por mais que a rivalidade seja grande e que no fundo o torcedor não queira ver seu rival campeão, ir até o estádio para vaiar, ofender, xingar e tentar agredir os jogadores do seu próprio time ultrapassa todos os limites. Foi exatamente isso que ocorreu hoje na Arena Barueri, os torcedores do Palmeiras ameaçaram diversos jogadores, xingaram o atacante Dinei que fez o primeiro gol do Verdão, atiraram diversos objetos no goleiro Deola que foi o melhor jogador em campo. Aliás o "crime" cometido pelo arqueiro foi o de executar brilhantemente a sua função, pois Deola estava simplesmente "fechando o gol". Vários torcedores ficaram atrás  da meta defendida pelo goleiro xingando-o e atirando diversos objetos e alguns chegaram a ameaçá-lo caso continuasse com a boa atuação.

    Fico imaginando o que leva alguém a sair da sua casa ir até um estádio que fica fora da sua cidade para ver seu time do coração e torcer para que ele perca? É inimaginável. Gente, tenho 31 anos e frequento arquibancadas desde os 12 anos e jamais me passou pela cabeça a possibilidade de comemorar o fato do meu time perder ou entregar um jogo. Isso vai contra o princípio de qualquer esporte. Não quero dizer que os torcedores de São Paulo e Palmeiras queiram ver um rival campeão, mas ir ao estádio torcer para o adversário e ostilizar seus próprios jogadores é inaceitável. Alguns amigos, entre eles jornalistas, sempre me disseram que o futebol é meio que um reflexo de nossa sociedade. Nunca havia concordado muito com isso pois sempre acreditei que o futebol não tinha toda essa importância. Mas fazendo um paralelo entre as atitudes dos torcedores de São Paulo e Palmeiras podemos chegar a alguns aspectos que atualmente se fazem comum em nossa sociedade.

    Esses mesmos torcedores que consideram normal seu time entregar um jogo, são os mesmos cidadãos que acham normal o "jeitinho brasileiro", que na lentidão do trânsito tentam ser mais espertos que os outros trafegando pelo acostamento, que na fila do banco tentam se passar por pessoas com algum tipo de necessidade especial, são os mesmos que compram produtos falsificados e que acham a pirataria algo normal, são os mesmos que querem obter vantagens em tudo, mesmo que para isso, tenham que prejudicar seu semelhante. A atitude desses torcedores não deve ser encarada apenas sob a ótica da rivalidade esportiva, mas, sim, como espelho da total falta de descrédito por qual passa a nossa sociedade.

    Tudo aqui em nosso país passou a ser permitido e aceitável. A ética não passa de um conceito filosófico, de uma ideia de uma sociedade que jamais será atingida. No Brasil quem segue as regras, quem anda na linha, quem cumpre as leis, quem não tenta levar vantagem de maneira ilegal é tratado como bobo, como idiota. É nessa sociedade em que vivemos! Sendo assim, fica difícil cobrar alguma postura ética do torcedor já que ele nada mais é do que um verdadeiro espelho da nossa sociedade. Infelismente!

     

     



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 21h52
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Começaram as Olimpíadas do Rio...

     

    Desde o último domingo temos presenciado uma prévia das Olimpíadas 2016 no Rio de Janeiro. As modalidades praticadas são as mais variadas: Tiro ao alvo, incêndio de carros à distância, lançamento de granadas, arremesso de bombas, entre outras. Estamos a menos de seis anos da realização dos jogos e a Cidade Maravilhosa vive uma semana digna dos conflitos existentes no Oriente Médio. São dezenas de atentados cometidos em vários pontos da capital carioca. Os traficantes espalham o terror queimando dezenas de carros, ônibus, caminhões. Os bandidos fazem de tudo para impedir que as forças policiais entrem nas comunidades e tentem acabar os ataques.

    Essa onda de violência que está sendo vivida pelos cariocas nos últimos dias já foi vivenciada pelos paulistanos em 2006. Na época, os líderes de uma organização criminosa que domina os presídios paulistas ordenaram uma série de atentados que espalharam o pânico em toda a população. Foram diversos veículos queimados, rebeliões simultâneas em dezenas de prisões, ataques armados a delegacias e bases policiais. Foram quatro dias em que os moradores de São Paulo viveram uma verdadeira guerra.

    A omissão das autoridades e o baixo investimento em segurança pública fizeram com que essas quadrilhas começassem a ganhar cada vez mais espaço na sociedade. Ha anos diversos especialistas da área de segurança vêem afirmando que esses grupos organizados estavam prontos para um confronto de proporções gigantescas. Primeiro foi em São Paulo, agora no Rio de Janeiro. O contra-ataque das forças policiais deve ser intenso, preciso, forte, sem recuar, sob pena dos criminosos tomarem de vez o controle da situação. A resposta das autoridades deve ser dura. Os governos Federal, Estadual e Municipal devem tomar medidas realmente sérias e eficazes no combate ao crime organizado, pois a imagem do Brasil e, principalmente, do Rio de Janeiro começam a ficar extremamente abaladas junto à comunidade internacional.

    A imagem positiva que o país vinha obtendo após a crise economica e também com a confirmação da realização da Copa e das Olimpíadas está em jogo. A população carioca está em pânico e observa toda essa onda de atentados estarrecida e aguarda que as autoridades consigam retormar o controle da situação. Não podemos em hipótese alguma permitir que o crime organizado impere. É hora de todo carioca de bem fazer a sua parte nesse guerra sem volta contra o tráfico. Denuncie. Liguem para o disque-denúncia e apontem a movimentação de qualquer bandido pela sua região. Os criminosos acenderam o pávio, agora, chegou a hora da polícia, das autoridades e da sociedade darem a resposta a esses marginais.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 19h23
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Globo já começa a se calar sobre escândalos na Copa 2014

     

    Exatamente da mesma forma como ocorreu nos Jogos Pan Americanos do Rio de Janeiro, em 2007, onde ocorreram diversas irregularidades como superfaturamento de obras, desvio de dinheiro e tantos outros escândalos. A Copa de 2014 já começa a ser alvo de denúncias por parte da imprensa e o principal envolvido é o presidente da CBF Ricardo Teixeira. O curioso é que da mesma maneira que há 3 anos a Rede Globo começa a fazer "vistas grossas" para o que está ocorrendo.

    Durante todo o período de realização de obras e investimentos financeiros que foram realizados para viabilizar a realização do Pan no Rio, praticamente todos os veículos da grande imprensa fizeram o papel que cabe a qualquer jornal que se julgue sério. Investigaram, apuraram e denunciaram diversos escândalos ocorridos com a utilização de dinheiro público que foi utilizado na realização dos jogos. Entre as denúncias está o estouro de mais de 300% o orçamento inicial previsto para a realização das obras. Todos os meios de comunicação foram bastante duros com os resposáveis cobrando explicações dos envolvidos e informando a população sobre o que estava acontencedo.

    Talvez a única excessão em todo esse processo tenha sido exatamente a Globo. A emissora carioca, que detinha os direitos de transmissão dos jogos, mal abordava o assunto em seus telejornais. Quando o tema entrava em pauta era de maneira muito superficial e sem trazer ao telespectador todo o contexto da situação que estava ocorrendo. Desde que o Brasil foi oficialmente escolhido como sede da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 todos já imaginavam que os escândalos envolvendo superfaturamento e desvio de dinheiro público iriam ocorrer novamente. O primeiro deles envolve o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que também é presidente do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, que  em uma manobra estatutária na criação da entidade poderá ficar com todos os lucros obtidos pelo COL durante a organização da Copa.

    O assunto já vem sendo denunciado amplamente por todos os órgãos de imprensa, exceto pela Globo. Vale ressaltar que a emissora é a única rede de televisão que terá direito à transmitir os jogos da Copa no Brasil. Ocorre que o fato de a Globo ser parceira comercial da Copa 2014 não dá a ela o direito de negar ou omitir a informação. Independentemente de seus interesses comerciais o telespectador não pode ser tratado como um "negócio". O Jornal Nacional, jornal mais visto do país, simplesmente vem ignorando o tema. Os milhares de telespectadores que diariamente colocam o telejornal como o líder de audiência há várias décadas mereçem mais respeito.

    Mais uma vez, as Organizações Globo começam a mostrar que mais vale garantir os seus interesses comerciais do que o dever de fazer aquilo que é regra básica do jornalismo: Informar, denunciar e mostrar os dois lados da notícia de forma isenta.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 19h17
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Brasil atinge a marca de mais de um celular por habitante

     

    No início dos anos 1990 começava a ser oferecido no Brasil o serviço de telefonia móvel. Em São Paulo eram apenas duas operadoras a Telesp Celular, recém privatizada, e a BCP (atual Claro). Os primeiros aparelhos eram verdadeiros tijolos (como este aí da foto) enormes e pesavam quase 1 kilo. As baterias duravam pouquíssimo tempo e não possuiam nenhuma das funções dos modernos aparelhos atuais. Somente faziam e recebiam chamadas. Eram poucas as pessoas que podiam ostentar esses celulares e quem tinha um era logo identificado como uma pessoa com muito dinheiro pois os preços eram muito altos. Ter um celular era sinônimo de status.

    Passados pouco mais de 20 anos desde a chegada dos primeiros "tijolões" a ANATEL anunciou hoje que o Brasil atingiu a marca de 194,439 milhões de aparelhos habilitados. Como a população do país, segundo o último censo do IBGE, é de 193,585 milhões já temos mais de um aparelho celular por habitante no país. O eletrônico que antes era sinônimo de riqueza, hoje, foi popularizado, se tornou ítem obrigatório no cotidiano de todos os brasileiros.

    Atualmente existem mais celulares que telefones fixos nas residências brasileiras. Essa verdadeira explosão da telefonia móvel deveu-se a vários fatores privatização do setor, abertura do mercado, barateamento dos aparelhos, livre concorrência, a criação do celular pré-pago, entre outros. As operadoras cobrem atualmente quase que 100% do território nacional e a cada dia buscam inovações para continuarem atraindo cada vez mais clientes.

    Esse número é preciso ser visto também do ponto-de-vista social, pois esse verdadeiro fenômeno ocorrido na telefonia celular brasileira também mostra uma clara mudança no perfil social do cidadão brasileiro. O fato dos preços, hoje, serem infinitamente inferiores aos do início desse serviço podem ter ajudado, mas isso ocorre com qualquer nova tecnologia. O ponto principal é que na última década o poder aquisitivo da população ficou muito mais elevado. Isso fez com que as classes mais baixas pudessem se dar ao luxo de poder adquirir produtos que antes eram vistos como supléfuos. Essa melhora no padrão de vida aliado a estabilidade econômica foram fundamentais para tornar o celular uma febre entre os brasileiros. Com a constante progressão da economia e a ascensão social que se prevê para os próximos anos não é difícil afirmar que levaremos muito menos tempo para chegarmos à marca de dois celulares para cada brasileiro. Ou vocês têem alguma dúvida?

    Dê a sua opinião.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 18h45
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Mais um caso de intolerância

    L.A, 23 anos, agredido hoje na av Paulista. Foto: AE

     

    Hoje por volta das 6hs da manhã um grupo de três jovens, que segundo a Polícia Militar, são homossexuais foram espancados na av Paulista. Os jovens andavam em frente ao edifício da Fundação Cásper Líbero quando foram atacados por cinco skinheads, sendo quatro menores e o maior Jonathan Lauton, 19, eles já foram presos e conduzidos à delegacia, informa a PM.

    Está cada vez mais comum os meios de informação divulgarem este tipo de notícia em que a principal razão é sempre a mesma: O preconceito. O ser humano já cometeu inúmeras barbaridades por conta da ignorância, desreipeito ao próximo, falta de inteligência e outras razões estúpidas que marcam ao longo dos séculos o comportamento da humanidade. A raça humana foi capaz de criar coisas maravilhosas como a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a revolução feminista, o tratamento do câncer e tantas outras obras fruto de sua inteligência e capacidade criativa que orgulham a todos. Mas também por fruto da ignorância fomos capazes das maiores atrocidades como o holocausto, a escravidão, a bomba atômica, o apartheid e outras monstruosidades que nos envergonham.

    Adolf Hitler, matou milhões de judeus e é idolo dos skinheads

    O ser humano foi capaz de buscar a evolução em vários aspectos da sua vida seja na medicina, saúde, qualidade de vida, financeiramente e politicamente. Mas não fomos capazes, até então, de evoluirmos interiormente. Ainda somos capazes de continuar cometendo atos bárbaros movidos por sentimentos estúpidos que somos incapazes de controlar.

    No Brasil são vários os grupos de verdadeiros idiotas que pregam o extermínio de negros, nordestinos e homossexuais. Levados pelos ideais nazistas de Adolf Hitler esses "neonazistas" são capazes de cometer as maiores atrocidades. Essas pessoas desprovidas de qualquer conhecimento histórico e social são incapazes de compreender que todos fazemos parte de um único povo: A raça humana. Esquecem-se que no Brasil não seriamos nada sem a imensa contribuição dos nordestinos que, literalmente, ajudaram a construir o país. Será que algum desses imbecis seria forte o suficiente para suportar tudo o que esse povo já sofreu, anos de esquecimento, a fome, a seca, a miséria e mesmo assim ser acima de tudo um bravo. Os negros carregam em suas mentes e corpos a lembrança de dezenas de anos de escravidão, de torturas e de abusos. E só para lembrar, mais da metade da população brasileira é composta por negros então já está mais do que na hora de pararmos de tratá-los como minoria. A minoria, de fato, são os brancos.

    Cada vez que sou "obrigado" a ver um novo caso como este de hoje ocorrido na av Paulista fico envergonhado com a maldade do ser humano. Apesar de bilhões de mortes ocorridas ao longo de nossa existência ainda somos incapazes de nos respeitarmos como seres iguais. Espero que um dia todos se lembrem que fazemos parte de uma única raça: A raça humana.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 15h25
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Show do bilhão!!!!

     

               

     

    Como todos já sabem o Banco PanAmericano, cujo Silvio Santos é o acionista majoritário, foi alvo de uma fraude bilionária. Um prejuízo de mais de 2 bilhões de reais. O dono do "baú" para não ver o banco liquidado teve de pedir um empréstimo ao Fundo Garantidor de Crédito de R$ 2,5 bilhões. Deve ser ressaltado que nessa operação não houve nenhum centavo de dinheiro público, diferentemente do vergonhoso PROER criado nos anos 90 para salvar os bancos brasileiros. Isso porque o FGC é um fundo mantido por todos os bancos que operam no país, eles fazem contribuições mensais para compor o fundo que pode ser usado em situações de emergência.

    Tudo isso já foi amplamente divulgado na grande imprensa essa semana, portanto, não é esse o foco dessa matéria. Não cabe ao blog apontar quem errou, se o rombo foi feito de má fé, se Silvio Santos sabia da fraude, se a Caixa Econômica sabia do rombo, tudo isso deverá ser investigado pela polícia e pelo Banco Central. O que o blog quer destacar nesse embróglio são dois pontos importantes e que chamaram muito a atenção do jornalista proprietário deste diário.

    O primeiro deles é que diferentemente de outros casos, desta vez, nós, cidadãos, não vamos ter que pagar a conta pela má administração de uma empresa privada. É comum no Brasil o Governo Federal acabar socorrendo empresas que foram fraudadas de maneira criminosa (não que este tenha sido o caso do PanAmericano) com empréstimos milionários às custas de nossos impostos. Desta vez os próprios bancos que operam no sistema financeiro vão usar de seus recursos para essa operação. O segundo ponto, aquele que acredito ser o mais importante, é que para conseguir esse empréstimo, Silvio Santos, deu como garantia todo o seu patrimônio. Isso quer dizer um total de 44 empresas pertencentes ao Grupo SS, entre elas o Baú da Felicidade e o SBT.

    Independentemente do fato dele saber ou não o que estava acontecendo no PanAmericano, se ele tem culpa ou não, esse ato de Silvio Santos deve ser muito bem analizado e compreendido. Já tivemos inúmeros exemplos de falências fraudulentas no Brasil em que os empresários ou controladores das empresas sabiam o que ocorria em suas companhias. Eram coniventes (ou omissos) e quando as empresas quebraram não me lembro de ter visto nenhum deles responsabilizados pelos prejuízos causados. A maioria deles tiveram seus patrimônios mantidos (ou perderam muito pouco) por todo o mal que causaram. Quem não se lembra dos casos do Banco Santos, da Encol, Mappin, Mesbla, entre tantas outras empresas que faliram e deixaram milhões de pessoas no prejuízo sem que seus donos fossem responsabilizados?

    No caso de Sênor Abravanel (nome de batismo de Silvio Santos) ele coloca desde já todo o seu patrimônio como garantia do negócio. Até onde se sabe as demais empresas do grupo estão em perfeita saúde financeira. Essa atitude mostra que Silvio poderia realmente não saber a fundo o que se passava no PanAmericano. Além disso ele coloca não só seus bens em xeque, mas seu nome, seu carisma e a credibilidade que ele possuí diante de milhões de clientes e de tantos outros milhões de pessoas que o assistem semanalmente no SBT. Ao colocar suas empresas como garantia do empréstimo o "homem do baú" tenta passar uma imagem de seriedade e de credibilidade que sempre o acompanhou. Como bom comunicador e negociante ele sabe que depende muito de seu carisma, por isso essa atitude pode ter ajudado Silvio Santos a continuar sendo uma pessoa e, principalmente, um empresário bem visto pela população em geral.

    Em todo esse caso envolvendo o Banco PanAmericano este ato de seu principal acionista vale um destaque, pois, geralmente, em casos de fraude o primeiro a pular fora do barco é o dono. E quase sempre sai ileso. Resta saber se Silvio Santos sairá desta sem arranhões, se conseguirá manter seu império e se o público continuará a prestigiá-lo.

    E você leitor o que pensa sobre o que aconteceu com o PanAmericano? Mande seu recado queremos ouví-lo.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 18h14
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Quanta incompetência!

    Em 2009 o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) foi cancelado porque foi constatado vazamento da prova por um funcionário da gráfica responsável pela confecção e distribuição da prova. Após muita polêmica o exeme foi realizado em outra data, milhares de alunos foram prejudicados. Na ocasião diversas faculdades e universidades em todo o país decidiram não utilizar a nota obtida pelos estudantes no ENEM para os seus vestibulares. A remarcação das provas custou aos cofres públicos dezenas de milhares de reais, além do que já havia sido gasto com o primeiro exeme, isso sem falar no tremendo desgaste político para o governo.

    E eis que depois de todos esses problemas ocorridos no ano passado somos novamente surpreendidos com a notícia de irregularidades no ENEM 2010. Desta vez a gráfica responsável pela impressão da prova deste ano (que não é a mesma gráfica de 2009) conseguiu errar a montagem dos cadernos de resposta. As provas deste ano tiveram quatro modelos diferentes que eram identificados por cores distintas, o lote que apresentou erro era o da prova de cor amarela. Ocorre que no caderno onde se encontravam as questões da prova o primeiro bloco de  perguntas que ia das questões 1 a 49 abordavam o tema "ciências da natureza", já no caderno onde os alunos teriam que assinalar suas respostas esse mesmo bloco de questões estava identificado como "ciências humanas". O erro na hora da impressão causou confusão aos alunos que não sabiam como deviam assinalar as respostas. Um erro absurdo!

    Ora, será que ninguém no INEP (órgão do governo federal responsável pela prova), na gráfica ou em qualquer outro órgão revisou o conteúdo das provas? É inadimissível que um erro desses tenha ocorrido. Depois dos diversos prejuízos causados em 2009 o Ministério da Educação passa a toda sociedade um atestado público de incompetência. Um simples trabalho de revisão no primeiro lote de impressões teria evitado todo esse problema. Mas ficou provado que o ministério não leva a questão com a seriedade que ela exige. O ministro Fernando Haddad e o presidente do INEP, Joaquim José Soares Neto, deveriam ser responsabilizados de forma direta pelo ocorrido e serem exonerados de seus cargos pelo presidente Lula. Somente assim o governo daria uma resposta satisfatória à sociedade, pois esses erros absurdos não podem continuar ocorrendo.

    Esse caso de tamanha incompetência já começa a trazer prejuízos. Hoje a Justiça Federal do Ceará suspendeu o ENEM em caráter nacional acatando pedido do Ministério Público, que já solicitou a anulação da prova. E quem vai pagar a conta caso a prova seja realmente cancelada e tenha que ser refeita? Nós contribuintes? Ou gráfica que não executou seu trabalho corretamente? São perguntas que o Governo Federal tem o dever de responder a todos os brasileiros. E quem vai arcar com os danos causados aos estudantes? Será esta mais uma pergunta que ficará sem resposta?

    Com a palavra o presidente Luíz Inácio Lula da Silva, que deve tomar medidas sérias para que novos absurdos como esse não voltem novamente a se repetir. Esse caso não pode passar em branco e sem punições, sob pena do ENEM perder a credibilidade e se tornar um mero exame desprezado pelas universidades brasileiras e sem seu efeito prático que é medir o grau de aprendizagem dos alunos.

    E você, caro leitor, o que pensa sobre todos esses problemas envolvendo o ENEM? Queremos ouvir a sua opinião, deixe o seu comentário sobre o tema e faça deste blog o seu canal de interatividade.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 19h22
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Ladrões acharam uma mina de ouro em São Paulo

    Fachada do Shopping Plaza Sul, assaltado na noite de ontem

    Na manhã de hoje mais uma joalheria foi assaltada em São Paulo, desta vez o crime ocorreu em um estabelecimento localizado dentro do supermercado Carrefour da avenida Professor Celestino Bourroul, no bairro do Limão, zona oeste da capital. Na noite de ontem uma loja da rede Vivara instalada dentro do Shopping Plaza Sul, na região da Saúde, também foi alvo de ladrões. Desde o início do ano já ocorreram mais de 16 assaltos a joalherias em São Paulo. Este tipo de crime tem trazido pânico a frequentadores, lojistas e donos de shoppings, pois tem se tornado cada vez mais comum na cidade. E por que essa nova modalidade vem ganhando espaço no mundo do crime?

    A resposta é simples: Pela facilidade encontrada. Grande parte das quadrilhas que vêem praticando esse tipo de crime deixou de assaltarem bancos, carros fortes, empresas de transporte de valor e estão direcionando suas ações às lojas de shopping pela maior facilidade encontrada nesses locais. Nesses centros comerciais os seguranças, em sua grande maioria, não andam armados. Boa parte dos shoppings estão localizados em grandes avenidas (o que facilita a fuga), a grande circulação de pessoas faz com que a polícia pense duas vezes antes de atirar nos bandidos, as jóias e relógios roubados são fáceis de serem vendidos no mercado negro. Um cenário perfeito para os bandidos que vêem nessa nova modalidade uma verdadeira mina de ouro.

    Os roubos à shoppings tem trazido à população uma sensação de pânico jamais sentida antes. Todo e qualquer paulistano sempre se sentiu seguro dentro desses centros comerciais, tanto que eles são chamados de "praia de paulista". Mas há muito tempo a segurança desses locais foi colocada em xeque, pois em 3 de novembro de 1999 o então estudante de medicina, Mateus da Costa Meira, entrou no cinema do Shopping Morumbi portando uma metralhadora matou 3 pessoas e deixou outras 4 feridas.

    As mercadorias expostas pelas joalherias são de valor financeiro alto, de fácil revenda no mercado clandestino e não expõem os assaltantes ao risco de se roubar um banco, por exemplo. E o que fazer para coibir esse tipo de crime? Especialistas em segurança apontam como uma das saídas uma vigilância mais ostensiva por parte das empresas responsáveis. Outra alternativa apontada é a instalação nas entradas dos shoppings de detector de metais (parecidos com os usados em aeroportos) para conseguir verificar quem estaria tentando entrar armado no local.

    Enquanto os especialistas, a polícia e os donos de shoppings não coseguem encontrar uma maneira de frear essa onda de assaltos. A população e os trabalhadores continuarão ficando a mercê da insegurança que vem tomando conta dos shoppings paulistas. E a situação tende a ficar pior do que está já que estamos entrando no final de ano, período de maior movimento no comércio. A circulação de pessoas e de dinheiro (já que em novembro é paga a primeira parcela do 13º salário) faz com que os assaltantes estejam, ainda mais, de olho no movimento dos shoppings. O final de ano poderá trazer notícias bem piores do que as que estão sendo divulgadas atualmente. Fiquemos atentos.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 19h53
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Educação: Nosso maior desafio

    A ONU ( Organização das Nações Unidas) divulgou nesta quinta-feira o relatório sobre o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), este índice apresenta dados sobre a qualidade de vida, níveis educacionais e outros dados que medem quanto um determinado país se desenvolveu em aspectos economicos, sociais e educacionais. A pesquisa, que é de responsabilidade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), mostrou que os países ricos e desenvolvidos continuam encabeçando a lista. Mas houve uma estagnação dos números dos primeiros colocados, entre eles, Noruega, Autrália, e Nova Zelândia (primeiro, segundo e terçeiro lugares, respectivamente) em comparação com os dados de 2009. A avaliação que se tira disso é que os países mais ricos ainda continuam a sofrer efeitos da crise financeira mundial ocorrida entre 2008 e 2009. Muitas nações ainda não conseguiram retomar seu ritmo de crescimento e isso acabou afetando suas avaliações no IDH.

    Agora, um dado bastante interessante é que o Brasil, na pesquisa de 2010, teve um salto no índice em comparação com 2009. O país ganhou quatro posições no ranking e atualmente ocupa a posição de 73º lugar entre as 169 nações avaliadas. Segundo Flávio Comim, economista do Pnud, o Brasil foi o país que mais ganhou posições na pesquisa desse ano. Esse desempenho, segundo ele, deveu-se a um crescimento equilibrado e constante do país nos últimos anos. Houve uma melhora na qualidade de vida e no poder aquisitivo do cidadão brasileiro e isso refletiu nos dados do IDH brasileiro.

    Porém nem tudo são flores, mais uma vez, a pesquisa mostrou o que todos nós brasileiros já sabemos "de cor e salteado". A educação continua sendo a nossa maior dificuldade e, consequentemente, nosso maior desafio. Segundo a pesquisa a população brasileira registra uma média de 7,2 anos de escolaridade entre os adultos e 13,8 anos "esperados de escolaridade" entre as crianças. Comparando esses dados com nossos vizinhos da América do Sul ficamos atrás de Chile, Argentina, Uruguai e Peru.

    Se a pesquisa levasse em conta apenas os dados educacionais a posição do Brasil no ranking mundial cairia da 73ª para a 93ª posição. Uma queda significativa de 20 posições, o que comprova que a educação no país não vai bem das pernas. Enquanto nossos vizinhos investiram pesado na melhoria do nível educacional de seu povo, nós, seguimos a passos de tartaruga sem tratar a escolaridade com a prioridade que ela mereçe. Está mais do que provado que para um país  ser grande, forte, competitivo economicamente, socialmente e respeitado em um mundo cada vez mais global é preciso investir pesado em educação.

    O Brasil durante muitos anos tratou a educação de sua população de maneira negligente e isso se reflete não só quando essas pesquisas são divulgadas. Quantas são as vagas de trabalho que deixam de ser preenchidas anualmente por falta de profissionais qualificados? Isso é só um exemplo de como a baixa escolaridade da população pode afetar diversas áreas. Medidas como a aprovação automática adotada ha vários anos em São Paulo, por exemplo, não contribuem em nada para o desenvolvimento  estudantil. Pois fazem com que a escola se torne apenas um depósito de alunos que são aprovados sem o mínimo de preparo necessário apenas para melhorar os níveis de retenção escolar dos estados. A seguir nessa caminhada ainda iremos demorar dezenas de anos até termos uma educação de qualidade e que ajude-nos a tornar o Brasil um país de primeiro mundo. Esse deve ser o maior desafio da presidente eleita Dilma Rousseff, espero que ela encare esse tema com a importância e com a prioridade que ele mereçe. Nossos jovens não podem mais esperar...



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 19h25
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Até quando?

    Foto: Rahel Patrasso/Futura Press

     

    Hoje pela manhã vias importantes da capital paulista foram interditadas temporariamente para um evento de promoção do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. A Marginal Pinheiros, a Ponte Estaiada e a avenida Roberto Marinho ficaram com o tráfego proibido por algumas horas para que o ex-piloto Emerson Fittipaldi pudesse acelerar uma Lótus com a qual ele foi campeão mundial em 1972.

    Esse evento faz parte de uma série de ações que serão tomadas pela prefeitura e pelos organizadores do GP Brasil de F1 para divulgar e promover a corrida que ocorre no próximo final de semana em Interlagos. Tudo bem até entendo que do ponto de vista do marketing, da promoção é muito legal ver um fórmula 1 andando pelas avenidas de São Paulo. Deve ser o maior barato ver um carro desses de perto "rasgando" a Marginal. Porém, como cidadão, como pessoa que depende do transporte público, como alguém que utiliza essas vias para ir ao trabalho, lazer ou para qualquer outra finalidade acho tudo isso o fim da picada.

    Mesmo tendo sido feriado essa interdição atrapalha a vida de centenas de milhares de pessoas que utilizam esses importantes corredores para as suas diversas atividades cotidianas. Linhas de ônibus tiveram seus trajetos alterados, trabalhadores que atuam em vários empreendimentos comerciais ao longo da Marginal (entre eles três importantes shopping centers) foram prejudicados. A troco de que? De uma mera ação promocional que não beneficiou ninguém, exceto Emerson Fittipaldi. Tivemos ontem um dia de caos na cidade com o trânsito parado em diversos pontos da capital, principalmente, na zona norte onde aconteçe o Salão Internacional do Automóvel. Todos imaginavam que devido ao feriado prolongado o trânsito em São Paulo estaria uma maravilha. Não foi o que se viu. Pergunte a qualquer motorista que ontem levou até 4:30h (quatro horas e meia) para cruzar o corredor norte-sul.

    E diante disso tudo a prefeitura em um ato de tamanha falta de bom senso decide interditar a principal via da zona sul de São Paulo. Nós, motoristas, pedrestes, ciclistas e usuários do transporte público rotineiramente somos surpreendidos com interdições no trânsito para eventos dos mais variados. Sem o menor critério a rotina de milhares de pessoas é alterada sem o menor respeito ao cidadão. Isso tem que acabar! A cidade que já possui um dos tráfegos mais intensos do mundo não pode se dar ao luxo de privar seus moradores do acesso a importantes avenidas por nada. Mesmo em um feriado qualquer interdição causa transtornos que são sentidos em todas as regiões da capital.

    Quantas vezes não somos pegos de surpresa com uma pista fechada para uma comemoração qualquer, para uma passeata, manifestação, seja lá o que for. Todos acabam pagando por isso. São Paulo não pode mais conviver com essa situação. Já pararam para pensar que vidas podem deixar de serem salvas apenas porque uma avenida está interditada por um evento desses e que a ambulância pode não chegar a tempo para o socorro? Este é só um exemplo de como essas interrupções momentâneas do tráfego podem ser catastróficas para a rotina da cidade.

    E para completar, na próxima quinta-feira teremos show do Black Eyed Peas, no Morumbi. Será uma noite de terror para todos que passam diariamente por vias como Marginal Pinheiros, Avenida Morumbi, av Francisco Morato, av Cidade Jardim e tantas outras que dão acesso ao estádio. Novamente trabalhadores passarão um dia de cão para poderem chegar em suas casas. Isso sem contar que até o final de semana teremos outros grandes eventos que prometem, literalmente, parar a cidade como o show do rapper Eminem, no jóquei, o GP Brasil em Interlagos (sexta, sábado e domingo) e os últimos dias do salão do automóvel. Ou seja, prepare-se, para exercitar a paciência e para chegar tarde em casa, pois essa semana terá muitos ingredientes para fazer da sua vida um verdadeiro caos no trânsito já saturado de São Paulo.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 19h39
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Devaneios de um domingo sem futebol...

    Acordei hoje triste, com o coração apertado, sentindo um vazio, me sentindo só. Apesar da linda manhã que tivemos em São Paulo, parecia que o dia estava acinzentado, feio, sem vida, sem alegria. Me sentia mal, como se hoje estivesse me faltando alguma coisa muito importante mas que eu não conseguia identificar o que era.

    Comecei então a tentar elencar tudo para tentar descobrir o que estava me deixando desse jeito. Fui visitar meu irmão ontem e matei as saudades que estava de vê-lo, minha amada esposa está comigo, meu sobrinho que tanto gosto está aqui em casa, fui a igreja hoje, rezei pela minha amada mãe para que sua alma esteja sempre em paz. " Já sei pode ser saudade da Dona Margareth", pensei; Mas já senti saudades dela por outras vezes e em nenhuma delas fiquei do jeito que estou hoje. Não é por isso que estou assim! Estou sentindo a falta de meu pai, mas falei com ele ontem pelo telefone, e apesar de estarmos sem nos ver a mais de três meses sei que ele está bem e que nos próximos dias ele estará aqui. "Então o que pode ser essa angústia?", pergunto-me.

    Olho ao meu redor e mesmo meus olhos vendo e minha mente me dizendo que está tudo certo, meu coração não se aquieta e diz que alguma coisa está faltando. E o pior é que sei que ele está certo, mas não consigo enxergar o motivo de minha aflição. Como nunca me envolvi com nenhum tipo de droga nunca soube quais os efeitos que a abstinência do tóxico pode causar a um dependente, mas acho que hoje posso ter um pouco dessa noção. Pois é como se algo que é muito importante para seu corpo, sua mente, estivesse em falta. Você fica tentando procurá-la até conseguir encontrar.

    E continuei meu dia de hoje travando uma batalha interna tentando encontrar a razão para tanta angústia e aflição. E eis que ao olhar para uma banca de jornal reparo que em todas as matérias de capa faltavam um único assunto: Futebol. Pronto, naquele mesmo instante diagnostiquei aquilo que tanto me incomodava: Abstinência futebolística.

    Para quem é louco por futebol como eu esse é o pior dos males. Domingo sem futebol, para nós, fanáticos, é como cerveja quente, queijo sem goiabada, praia sem Sol, festa sem música; Existe, mas não tem a menor graça. Um não vive sem o outro. As horas se arrastam, os minutos parecem demorar dias, o tempo não passa, o dia parece não ter fim. Aí me lembrei que havia sentido essa mesma sensação no dia 3 de outubro e de como aquele dia tinha sido difícil de suportar. Mas como tinha sentido isso raríssimas vezes não conseguia me lembrar como era tão ruim.

    Ainda bem que para nós, amantes do futebol, essa abstinência só acontece uma vez (ou duas) a cada quatro anos. E para nos curar de tamanha privação eis que na próxima semana já teremos de volta a nossa dose semanal de adrenalina, emoção, paixão, alegria, tristeza e todos os demais sentimentos que só essa "droga" chamada futebol pode nos causar.



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 16h34
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    Ele não desiste...

    Foto: Juvenal Pereira fonte: Câmara Municipal

     

    Netinho de Paula anunciou hoje que tem intenção de disputar a prefeitura de São Paulo nas eleições que serão realizadas em 2012. A declaração foi dada durante o velório do senador Rumeu Tuma, falecido ontem na capital paulista. O cantor que atualmente exerce o cargo de vereador na cidade de São Paulo e concorreu este ano ao cargo de Senador pelo PC do B, ficou em terceiro lugar atrás de Marta Suplicy (PT) e Aloysio Nunes(PSDB) não conseguindo se eleger.

    Mesmo tendo ficado de fora do Senado Federal, Netinho obteve uma expressiva votação com mais de 5 milhões de votos. Esses números animaram o cantor que acredita que esse seu resultado nas urnas revela uma tendência do eleitor em querer uma mudança na política brasileira. O atual vereador declarou que coloca desde já seu nome à disposição do partido caso essa seja a vontade do PC do B e dos demais partidos de esquerda que eventualmente venham a fazer uma coligação em torno de seu nome.

    Netinho surgiu no cenário político depois de anos fazendo sucesso junto ao público como cantor de pagode e apresentador de programas de televisão. Tendo uma identificação muito forte com a população da periferia saiu candidato a vereador em 2008 tendo sido o mais votado de São Paulo. Prometendo lutar pelas minorias, pelos pobres, pelos negros, pela periferia, Netinho caiu no gosto da população que já estava, e continua estando, cansada dos políticos convencionais. Porém, após ser eleito o cantor pareçe ter esquecido das promessas de campanha.

    Netinho de Paula é, até agora, na atual legislatura o vereador que mais faltou nas seções da Câmara Municipal e a maioria dos projetos apresentados por ele são de relevância questionável. Netinho segue um caminho já conhecido na política brasileira e que até hoje não trouxe nenhum benefício para a população. Já tivemos vários artistas eleitos Frank Aguiar, Clodovil, Agnaldo Timóteo, Batoré e tantos outros. Mas qual desses nomes fez algo de realmente relevante para a sua cidade, para seu estado, para o país? Nenhum deles.

    Nesta eleição podemos ter mais exemplos de que esses "famosos" podem não ser a solução dos nossos problemas, a próxima legislatura contará com Tiririca, Romário, Bebeto e outros. Netinho irá tentar se valer da sua popularidade, ainda em alta, para tentar alçar novos vôos na política paulistana. Mas com seu currículo atual como vereador será que ele poderá ser a solução? Com a resposta, você, caro leitor e eleitor.

     

     



    Escrito por Sidnei Santos - Jornalista às 17h33
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
     
    Anúncios Shopping UOL